dica de livro

Melhores frases do livro Memória de minhas putas tristes

Obra de Gabriel García Márquez fala sobre um jornalista nonagenário que se apaixona por uma adolescente

Encontrei o livro "Memória de minhas putas tristes", de Gabriel García Márquez, em um evento onde se fazia, entre outras ações, doação de livros. Como tudo que se refere ao escritor colombiano - Prêmio Nobel de Literatura, em 1982 - me interessa, logo tratei de levá-lo para casa. 

A minha fila de livros para serem lidos estava grande (Como sempre! rs), mas aproveitei as férias do final de ano para cumprir a leitura e, mais uma vez, me impressionei com as histórias de García Márquez.

Resenha sobre Cem Anos de Solidão

Resenha sobre o Amor nos Tempos do Cólera 

Escrito e publicado no ano de 2004, "Memória de minhas putas tristes" conta a história de um jornalista nonagenário, sem nome, que se apaixona por uma adolescente recém-chegada ao mundo da prostituição, intitulada pelo idoso como Delgadina. O livro aborda como um sujeito constrói a percepção da própria velhice e como uma inusitada paixão pode bater à porta em qualquer fase da vida. 

A narrativa de Gabo, sempre tão rica e detalhada, inevitavelmente gera um incômodo pela discrepante diferença de idade entre os personagens, mas paira sempre no realismo mágico do autor que nos confunde entre o que é verdadeiro ou fantasioso na mente de um velho apaixonado. 

Para quem deseja conhecer um pouco mais da obra, confira abaixo:

  • Sete frases do livro Memória de minhas putas tristes:

“Um dos encantos da velhice são as provocações que as amigas jovens se permitem, achando que a gente está fora do jogo.”

“Voltei para casa atormentado pelo diabinho que sopra no ouvido as respostas devastadoras que não demos na hora certa.”

“Descobri que minha obsessão por cada coisa em seu lugar, cada assunto em seu tempo, cada palavra em seu estilo, não era o prêmio merecido de uma mente em ordem, mas, pelo contrário, todo um sistema de simulação inventado por mim para ocultar a desordem da minha natureza.”

“Tomei consciência de que a força invencível que impulsionou o mundo não são os amores felizes, mas os contrariados.” 

“A idade não é a que a gente tem, mas a que a gente sente.” 

“O sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança.” 

“A fama é uma senhora muito gorda que não dorme com a gente, mas quando a gente desperta ela está sempre olhando para nós, aos pés da cama.” 


Copyright © 2020 I Cris Mendonça. Melhores frases do livro Memória de minhas putas tristes. Todos os direitos reservados. 

Comentários