família

Carta para Amara, a menininha que está por vir

Desejo que a sua vida seja carregada desse afeto que move pais de primeira viagem sonhando com um quartinho do bebê
Foto: Cottonbro/Pexels CC

Amara,

Um dia, quando já conhecer as letras e (des)entender um pouco desse mundo, eu gostaria que lesse essa carta. Quando isso acontecer eu serei, para os seus pais, apenas uma lembrança distante ou mesmo inexistente, mas quero que você saiba como a sua pequena existência mexeu comigo.

Neste exato momento em que digito essas palavras, estamos em 2021 e há quase dois anos vivemos todos em meio à pandemida de covid-19, o que transforma os vizinhos em pessoas ainda mais distantes socialmente.

Veja você, eu moro no apartamento em frente ao dos seus pais. Eles no número 400 e eu no 401. Nos vemos tão pouco que um belo dia bati na sua casa apenas para dar um recado. Qual foi a minha surpresa quando sua mãe abriu a porta e eu a vi com uma barriguinha que parecia ser de seis ou sete meses?!

_Meu Deus, ela está grávida e eu nem percebi!_foi meu primeiro pensamento. 

Conversamos e, naquele dia, sua mãe transbordou toda emoção ao me falar sobre as coisas ruins desse mundo e como elas podem machucar. Naquele dia, a dor da sua mãe também foi a minha. Éramos apenas duas mulheres desejosas de um mundo mais justo para você e todos os outros que viessem.

Conversa finda, voltamos - cada uma - para as nossas rotinas. 

Porém, foi num domingo que a sua vida encheu meu coração de esperança. Eu voltava de um passeio e, ao entrar no prédio, vi seus pais, na garagem, pintando o que parecia ser a cabeceira de uma cama. Sua mãe barrigudinha, seu pai de bermuda e pincel na mão. Logo imaginei que estavam cuidando da decoração do seu quartinho. Combinava com domingo ver seus pais assim, combina com a vida que eu acredito ver um casal se recriando para receber um filho. Quando pintamos um móvel antigo estamos dizendo ao mundo que somos capazes de recomeçar, reinventar e amar mais uma vez. 

Saiba que é bom ser sua vizinha e a sua, ainda, frágil existência reforça minha fé no mundo!

Por isso, menininha, desejo que a sua vida seja carregada desse afeto que move pais de primeira viagem sonhando com um quartinho do bebê. E mais: que ela seja tão bonita quanto a força do seu nome Amara, recheada de generosidade, valentia e amor-próprio.

Nesse (meu) tempo atual, em que ainda mora na barriga da sua mãe até o dia em que você irá ler essa carta desejo que, na sua família, seu pai continue a tocar instrumentos musicais alegrando a casa do lado de cá e a sua mãe exerça a profissão bonita que ela tem, ouvindo os outros sem julgamento. Um lar com música, empatia e, quem sabe, um passarinho na janela - é sempre um bom presente, não é?!

Sendo assim, Amara, menininha, seja sempre bem-vinda vida afora!


Copyright © 2021 I Cris Mendonça. Carta para Amara, a menininha que está por vir. Todos os direitos reservados.


Comentários
Seja o primeiro(a) a comentar!
Envie seu comentário
Os comentários são submetidos à avaliação antes da publicação. As mensagens de teor ofensivo ou preconceituoso não serão publicadas.
Você também pode comentar usando o Facebook